sexta-feira, outubro 29

Caterpillar

Um dia espero vir a regozijar-me de pelo menos ter feito uma coisa na vida... Agora estarão vós a pensar qual será... pois bem, passa por disfrutar do prazer de guiar uma daquelas máquinas pesadas das obras. Qualquer homem que é homem sente este desejo, uma força interior que nos conduz a este sonho. Se não vejam, este chamamento até é patente em qualquer Nosso Primeiro do País. Também eles curtem conduzir cenas pesadas, não que seja grande exemplo mas pelo menos uma coisa na vida haviam de fazer certa. Por exemplo os 2 últimos, quantas vezes não vimos A.G. guiar o "little engine that could" da CP ou então D.B. a dominar os novos catamarans que fazem a travessia do Tejo? Mas não peço tanto, cada macaco no seu galho. Basta-me conduzir uma daquelas cenas que têm um braço articulado com uma pá invertida para esburacar, a retroescavadora! Isso sim, é útil, bonito e ainda por cima é d' Homem! Um dia destes, sei que sim!! Quem sabe talvez no meu aniversário...

Ps: Anuncio que o post 69 foi sobre mamas... é digno sim senhor! Chamo a atenção que isto não foi mero acaso.

2 comentários:

Molghus disse...

Curti a ideia, e era porreiro também podermos conduzir um tanque aos fins de semana, só para curtir uma beca - já nem digo disparar o canhão, mas dar uns tiritos da machine gun de vigia na malta da fila do pão da Portela no Piso 0 - a fila mais multicultural do mundo - era engraçado!
Com o Catterpilar ainda dava pra sacar uns cavalinhos sem ter problemas de cair para trás, muito à Alien 4, movimentos robóticos, e porrada entre retroescavadoras, a primeira a baldar o faval perde!

AnaP disse...

Há-de haver uma alminha caridosa que te ofereça um passeio numa "contrapila".. hehehe! Beijos***