domingo, outubro 10

Ali no Rato

20h23min - Largo do Rato - Semáforo de quem vem das Amoreiras vermelho
O rádio toca mas inaudível, fez-se noite depressa. Carros ao lado, de quem vai para a Estrela, carros do outro lado, dos que seguem para o Marquês. Eu, com os carros da frente e de trás, estou na fila dos que seguem para São Bento.
Ali ao lado, junto à boca de Metro, um rufia com mais brincos que orelhas passa um conto por dois de fumo a um puto mais novo. Duas malucas mamalhudas insinuam-se ao caramelo de fato que passa. Sorte nenhuma, marreca... eu vejo tudo do lado de cá de um vidro ainda mal lavado pelas chuvas de Outono. Ah! Está simpático o ambiente, tão simpático que quase se torna agradável...
Ali à frente, uma senhora pouco senhora sai do carro em jeito de peixeira. Exclama muito e bem alto, para os carros de trás ouvirem! Não percebo. O senhor pouco senhor, sai do carro e dá-lhe umas lambadas... uma, duas... que eu visse, mas podem ter sido mais.
Chega a autoridade, pouco autoridade mas lá vai impondo o respeito por detrás do seu crachá! Agarra o senhor pouco senhor. A senhora pouco senhora aproveita para se agradecer as lambadas e, educada como é, devolve-as ao senhor pouco senhor agarrado pela autoridade pouco autoridade. Chegam mais autoridades, que aproveitam para instalar o caos no trânsito, fingindo que conseguem organizar a desorganização.
As buzinas apitam já faz um quarto de hora. Não tenho pressa, para onde vou há quem me espere. As buzinas entram-me na cabeça, estou capaz de dar um tiro no gajo do carro de trás, no senhor pouco senhor, na senhora pouco senhora e naquelas autoridades pouco autoridades.
O senhor e a senhora conseguem enganar as autoridades e voltam a trocar mimos, agora com as mãos cerradas. As autoridades aproveitam para dar também umas lambadas aqui e ali. Animou este fim de Sábado, ir ao Rato tem o seu quê de pitoresco!
Consigo passar ao lado de todos eles... sigo para São Bento e faço a minha vidinha normal; e só voltei a pensar neles todos agora, aqui em casa. Benditos!

2 comentários:

AnaP disse...

Isso é que foi uma tarde animada! A mim nunca me calhou uma cena dessas no Rato ou em qualquer outro ponto de Lisboa. As bichas de trânsito só eram menos chatas porque eu punha o rádio alto e ia cantando e dançando... Se calhar, as pessoas que iam nos carros ao lado pensaram que eu era doidinha! Mas não me ralo :-)

Eushinha disse...

Não tenho pressa, para onde vou há quem me espere.