domingo, abril 3

Wish You Were Here

Estava sentado entre dois bancos, vista de rio em primeiríssima linha, divagando sobre técnicas e teorias estranhas demais para serem relembradas.

Custo simbólico, percepção lúcida das coisas todas a troco de imaginário semi-concretizado.

A realidade que me envolve é tão gira, tão linda que se ousa sonhar um pouco, viajar para lá do rio até ao oceano, depois dos mares para uma ilha distante com portal de acesso ao paraíso dos prazeres inimagináveis. Pelo caminho vemos cores em espiral, arco-iris disformes que nos hipnotizam levemente, fazem-nos ver gnomos e unicórnios rosa, gigantes e serpentes encantadas, escadas para o céu, pontes para o infinito.

Estamos numa viagem cósmica, entre dois pontos ao lado um do outro pelo caminho mais comprido mas no transporte mais rápido. Até chegar são mil e um dias de espanto, sufoco para arfar, mergulhos, correrias... mil dias com um final feliz, no milésimo a felicidade encolhe por termos terminado o percurso, mas aumenta por conhecermos o destino finalmente. E novos caminhos se abrem, ainda que o ponto de partida possa ser o paraíso, nós vamos... está-nos no ser viajar, está-nos na alma partir seja de onde for.

E eu já a estou a ver mesmo daqui, desta margem sentado entre dois bancos verdes como o jardim que me rodeia. Ali animação, por cá chill out... entramos no cone de aceleração abrupta que nos transporta até à ilha, porque lá encontro o teu sorriso, vejo a tua imagem de ontem e apaixono-me novamente num ciclo perpétuo de desarmonia/harmonia, encanto/desencanto...

Weirdo!

1 comentário:

sussurros da lua disse...

Bem... nem sei bem o que escrever!
Não vim comentar o teu post, vim comentar as palavras que deixaste no meu blog.
Sabes, eu leio o que escreves e encontro nas tuas palavras, marcas de alguém que conheci um dia. É estranho, muito estranho, é como se já te conhecesse!
Mil beijos!