segunda-feira, novembro 28

AJJ



Batista Bastos:Alberto João Jardim não é inimputável, não é um jumento que zurra desabrido, não é um matóide inculpável, um oligofrénico, uma asneira em forma de humanóide, um erro hilariante da natureza. Alberto João Jardim é um infame sem remissão, e o poder absoluto de que dispõe faz com que proceda como um canalha, a merecer adequado correctivo.Em tempos, já assim alguém o fez. Recordemos. Nos finais da década de 70, invectivando contra o Conselho da Revolução, Jardim proclamou: «Os militares já não são o que eram. Os militares efeminaram-se». O comandante do Regimento de Infantaria da Madeira, coronel Lacerda, envergou a farda número um, e pediu audiência ao presidente da Região Autónoma da Madeira. Logo-assim, Lacerda aproximou-se dele e pespegou-lhe um par de estalos na cara. Lamuriou-se, o homenzinho, ao Conselho da Revolução. Vasco Lourenço mandou arrecadar a queixa com um seco: «Arquive-se na casa de banho».

2 comentários:

ChrisWoznitza disse...

Hi I´m Chris. Greatings from Germany Bottrop !!

Inêsnikel disse...

tipo falar dexes politicos inda por ciam o alberto k é u nojo de pexoa estupido anormal ñ o suporto akela cena d na kerer chineses la na madeira mete nojoo racista da merdaa bem vos deixo meus kidossssssssss jokassssssssssss